domingo, 25 de setembro de 2016

Todos Precisamos de Perdão

A Parábola do Filho Pródigo

"Jesus continuou: "Um homem tinha dois filhos. O mais novo disse ao seu pai: 'Pai, quero a minha parte da herança'. Assim, ele repartiu sua propriedade entre eles. "Não muito tempo depois, o filho mais novo reuniu tudo o que tinha e foi para uma região distante; e lá desperdiçou os seus bens vivendo irresponsavelmente. Depois de ter gasto tudo, houve uma grande fome em toda aquela região, e ele começou a passar necessidade. Por isso foi empregar-se com um dos cidadãos daquela região, que o mandou para o seu campo a fim de cuidar de porcos. Ele desejava encher o estômago com as vagens de alfarrobeira que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada. "Caindo em si, ele disse: 'Quantos empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados'. A seguir, levantou-se e foi para seu pai. "Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou. "O filho lhe disse: 'Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho'. "Mas o pai disse aos seus servos: 'Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Coloquem um anel em seu dedo e calçados em seus pés. Tragam o novilho gordo e matem-no. Vamos fazer uma festa e alegrar-nos. Pois este meu filho estava morto e voltou à vida; estava perdido e foi achado'. E começaram a festejar o seu regresso. "Enquanto isso, o filho mais velho estava no campo. Quando se aproximou da casa, ouviu a música e a dança. Então chamou um dos servos e perguntou-lhe o que estava acontecendo. Este lhe respondeu: 'Seu irmão voltou, e seu pai matou o novilho gordo, porque o recebeu de volta são e salvo'. "O filho mais velho encheu-se de ira e não quis entrar. Então seu pai saiu e insistiu com ele. Mas ele respondeu ao seu pai: 'Olha! todos esses anos tenho trabalhado como um escravo ao teu serviço e nunca desobedeci às tuas ordens. Mas tu nunca me deste nem um cabrito para eu festejar com os meus amigos. Mas quando volta para casa esse teu filho, que esbanjou os teus bens com as prostitutas, matas o novilho gordo para ele!' "Disse o pai: 'Meu filho, você está sempre comigo, e tudo o que tenho é seu. Mas nós tínhamos que celebrar a volta deste seu irmão e alegrar-nos, porque ele estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi achado'." - Lucas 15:11-32 (NVI)

Há alguns anos, uma editora cristã lançou um livro intitulado "Why Do Christians Shoot Their Wounded? [Por que os cristãos atiram em seus irmãos feridos?]. O livro faz uma análise dos problemas emocionais que vários cristãos enfrentam e o pouco apoio que encontram nas igrejas. Os autores questionam o motivo de a igreja (que deveria ser o hospital da alma) fazer com que as pessoas doentes e feridas se sintam como peixes fora d'água.
Se a igreja é, em tese, um refúgio para os marginalizados, por que tanta gente age como se os cristãos não tivessem problemas iguais aos das outras pessoas? Será que é porque achamos que os problemas, de alguma maneira, desqualificam o poder divino para curar? Ou será que é porque eles revelam nossa terrível condição humana de falibilidade, que tentamos a todo custo esquecer?
Deus recebe os pródigos de volta ao aprisco, não importa quão terrível seja a sua história (Lc 15:11:32). Se o Senhor aceita gente imperfeita como nós, devemos, do mesmo modo estender a graça a outros que estão entre nós e enfrentam lutas pessoais, pois, como afirma o texto de Tiago 2:13, "a misericórdia triunfa sobre o juízo".

Lembre-se: "Quando nos colocamos no lugar das outras pessoas, menor é a probabilidade de querermos colocá-las no que pensamos ser o seu devido lugar." - Farmer's Digest Magazine

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Seja Livre!!!

"E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará."
João 8:32


Liberdade - É isso que as almas de tantas pessoas por todo o mundo desejam. E nós temos nos unido como humanos para estabelecer bolsões de liberdade por todo o mundo. A melhor versão da liberdade que qualquer nação pode oferecer pode ser a segurança de liberdades civis básicas.  Mas Jesus oferece uma liberdade que supera qualquer liberdade que qualquer nação possa oferecer. 

Liberdade da vergonha, do medo, da culpa, do arrependimento, da amargura, e até liberdade das consequências eternas de nossa escolha egoísta de pecar.  Jesus nos oferece liberdade de todas essas coisas. Mas algumas vezes permanecemos acorrentados em vez de andar em liberdade. Não temos confiança na liberdade que o sangue de Cristo comprou para nós. Para experimentar realmente a liberdade que nos foi dada, precisamos saber o que ela é, e nos afastar das mentiras que querem nos manter na escuridão. Nós precisamos saber quem nós somos por causa dele, e deixar para trás quem nós éramos. 

O versículo de hoje traz palavras do próprio Jesus Cristo. Ele quer que conheçamos a verdade. E ao conhecer a verdade poderemos realmente andar na liberdade da Sua graça. Quais mentiras o mantém prisioneiro do passado?   De quais verdades você precisa se apossar? Peça a Deus para guiá-lo à verdade na Sua Palavra que irá tirá-lo da escuridão. 

Fale com Deus: Deus Pai, eu quero andar na plenitude da liberdade que tu tens para oferecer. Eu quero levar outros a encontrarem a mesma liberdade com que Tu me perdoaste. Ajuda-me a identificar as mentiras que estão me mantendo cativo, e guia-me às verdades na Tua Palavra que irão me libertar destas amarras. Em nome de Jesus, amém.

sábado, 17 de setembro de 2016


"'E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados.' Mas se vocês não perdoarem, também o seu Pai que está no céu não perdoará os seus pecados." - Marcos 11: 25 - 26


A oração é um privilégio maravilhoso. Podemos orar a qualquer momento ou em qualquer lugar. Daniel orou em uma caverna cheia de leões famintos. O apóstolo Paulo orou quando estava preso no cárcere. Pedro orou sobre a superfície da água. E Jonas orou debaixo da água. Assim, onde quer que esteja, você pode orar.



Mas talvez você esteja orando sobre algo por um longo tempo sem que nada aconteça. Talvez seja um pedido legítimo, você tem pedido a Deus por Sua sabedoria ou provisão, no entanto, parece que a sua oração fica sem resposta.



Aqui está a minha pergunta para você: Você está abrigando a falta de perdão no seu coração agora? Deixe-me dizer isso de outra maneira: Você nutre um ressentimento contra alguém? Toda vez que vê essa pessoa, começa a ferver de raiva e a sentir a sua pressão subir? Você pode dizer: "Bem, você precisa entender. Aquela pessoa me injustiçou."


Todos nós temos sido injustiçados na vida. Todos fomos feridos e maltratados na vida. Não importa o quanto tentemos, não podemos controlar o universo. O que podemos fazer é escolher como vamos reagir quando uma injustiça vem ao nosso encontro na vida.


Jesus disse: "'E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados'. Mas se vocês não perdoarem, também o seu Pai que está no céu não perdoará os seus pecados" (Marcos 11:25-26).


Pessoas perdoadas devem perdoar pessoas. Por isso, é hora de enterrar o machado de guerra (mas não nas costas da outra pessoa) e perdoar. Lembre-se, quando você perdoa alguém, você liberta um prisioneiro: você mesmo.

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

O Único Jeito

"Vemos, todavia, aquele que por um pouco foi feito menor do que os anjos, Jesus, coroado de honra e glória por ter sofrido a morte, para que, pela graça de Deus, em favor de todos, experimentasse a morte." - Hebreus 2:9


As pessoas gostam de afirmar que todas as religiões são verdadeiras e que Jesus é um dos muitos caminhos que levam a Deus. Algumas até têm um adesivo de carro que diz "Coexista" e que inclui vários símbolos religiosos. Esse sentimento é bacana. E é bacana dizer que todas as religiões ensinam a mesma coisa, mas quem quer que faça essa afirmação ou está mentindo, ou é um bobo, ou simplesmente decidiu não dar nenhuma olhadinha sequer nas religiões do mundo. As religiões do mundo não ensinam todas a mesma coisa.


Na verdade, insinuar isso já é ofender a Deus. Você acha que Deus teria permitido que Seu Filho passasse por algo tão horrível como a crucificação se todos os caminhos levassem a Ele? De outro modo, por que Jesus teria de morrer? Deus podia ter dito: "Tudo certo. Podem fazer como queiram. Acreditem no que quiserem. Tudo beleza."


Mas não havia outro caminho pelo qual satisfazer as justas exigências de Deus. É por isso que Jesus orou: "Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres" (Mateus 26:39). O que é "este cálice"? Eu creio que seja o cálice da ira de Deus. Isaías o chamou de cálice da ira d'Ele (ver Isaías 51:17,22).


Jesus experimentou a morte por todos. Hebreus 2:9 diz: "Vemos, todavia, aquele que por um pouco foi feito menor do que os anjos, Jesus, coroado de honra e glória por ter sofrido a morte, para que, pela graça de Deus, em favor de todos, experimentasse a morte".


Jesus tinha de ser o recebedor da ira de Deus em nosso lugar para que pudéssemos ser perdoados do nosso pecado. Não havia outro jeito.

》》♡ JESUS TE AMA ♡《《

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Um Novo Coração



"Tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei um coração de carne." - Ezequiel 36: 26

Deus permitiu que Jerusalém fosse destruída e que seu povo escolhido fosse separado, porque as pessoas não estavam dispostas a abandonar os ídolos feitos por mãos humanas. Eles desafiavam abertamente o primeiro mandamento de Deus: " Não terás outros deuses além de mim.". Por fim, depois de muitos anos de alertas e clamores de profetas como Ezequiel, Deus retirou sua mão protetora de Jerusalém e seus habitantes.
Assim como fazia naquela época com seu povo, Deus deseja que dediquemos a Ele total atenção, adoração concentrada e obediência absoluta. O Senhor nos convoca para que abandonemos nosso jeito errado de fazer as coisas, nossos antigos interesses e nossos "vícios preferidos" e assim nos voltemos a Ele.
Mesmo que você tenha integrado uma "gangue" por toda a vida, Deus pode transformá-lo(a) em uma nova criatura. Você será colocado(a) em uma nova trilha de amor e serviço. E seu "coração de carne", novo e obediente, passará a orientar suas ações para que as pessoas que o(a) veem possam louvar a Deus. E lembre-se disto: voltar-se a Deus não precisa ser uma experiência emocional espalhafatosa. Basta um simples gesto de erguer a mão.


"No mundo natural, é impossível ser totalmente refeito, mas no mundo espiritual, é exatamente isso que Jesus Cristo torna possível." - Oswald Chambers, professor e capelão britânico

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Uma Vida Inteiramente Santa

"Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem, pois está escrito: 'Sejam santos, porque eu sou santo'." - 1 Pedro 1:15-16

Não há nada de errado em querer ser feliz. Não acho que alguém deva se levantar pela manhã e dizer, "Meu objetivo hoje é ser uma pessoa deprimida." É bom querer ser feliz, mas se viver com esse objetivo, você nunca será feliz. Na verdade, você vai descobrir que as pessoas ao seu redor que correm atrás da felicidade são as menos felizes.

Tudo se resume ao seguinte: Se você quer ser feliz, procure ser santo, e a felicidade virá como um subproduto. Procure ser santo. Procure ser como Cristo, porque Deus disse: "sejam santos, porque eu sou santo" (Levítico 11:44). Mas também procure viver completamente para Cristo. Procure ser como Cristo e viver para Cristo. E uma vez que você viva uma vida inteiramente santa, vai descobrir que é uma pessoa feliz.

Se você perder a sua vida por causa de Cristo, Ele diz que você vai encontrá-la. Mas se você viver para as suas próprias ambições egoístas, se você se sente como o centro do universo e acha que tudo tem que girar em torno de você, então você será infeliz. E as pessoas ao seu redor serão infelizes também.

Por outro lado, se você colocar Deus em primeiro lugar e colocar o seu próximo em segundo lugar, então a felicidade virá como um bônus extra. Isso é o que Jesus diz a cada um de nós: "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a vida por minha causa, a encontrará" (Mateus 16:24-25). Se você quiser se encontrar, então perca-se. Abdique de si mesmo e coloque Deus em primeiro lugar.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

As Montanhas da Vida

"Enquanto desciam do monte, Jesus lhes ordenou: 'Não contem a ninguém o que vocês viram, até que o Filho do homem tenha sido ressuscitado dos mortos'." (Mateus 17:9)

Alguma vez você já teve um daqueles momentos especiais na presença de Deus? Talvez tenha sido durante um tempo de devoção quando você orou e pediu a Deus para falar com você, ouviu a Sua Palavra e comprometeu o seu dia a Ele. Talvez uma determinada passagem bíblica ou versículo tenha saltado para fora da página e entrado diretamente em seu coração. Ele falou com você de forma tão clara, e era exatamente o que você precisava ouvir. Ou talvez tenha sido na igreja quando você estava adorando e sentiu a presença de Deus de uma forma tangível. Você pensou consigo mesmo: quero que seja sempre assim.

Agora imagine se você fosse Pedro, Tiago ou João, e que fosse capaz de ver o que eles viram na Transfiguração: "Ali ele foi transfigurado diante deles. Sua face brilhou como o sol, e suas roupas se tornaram brancas como a luz. Naquele mesmo momento apareceram diante deles Moisés e Elias, conversando com Jesus." (Mateus 17:2-3). Jesus deu a Pedro, Tiago e João um vislumbre de Sua glória, uma prévia do que está por vir. Por um momento, viram a Jesus como Ele realmente é.

A transfiguração de Jesus foi um ponto significativo em Sua vida e ministério. Foi o meio do caminho de uma viagem muito difícil. A partir da Transfiguração, Jesus olhou para trás, para o berço e para a frente, para a cruz.

Mas depois de testemunhar esse evento notável, os discípulos tiveram que deixar a montanha e voltar para o vale - o frio, a dura realidade da vida e os problemas que estavam à sua espera. Os discípulos estavam aprendendo que nem sempre poderiam viver no topo das montanhas.


Quando estamos no topo das montanhas da vida, devemos apreciá-las. Mas também devemos lembrar que elas estão nos preparando para a vida no vale, para os desafios, dificuldades, e para a dura vida do mundo real.